Endoscopia da Coluna Cervical
15 de outubro de 2020

A principal diferença entre a cirurgia com endoscópio e a cirurgia convencional é que na endoscopia, o cirurgião consegue enxergar através de uma câmera acoplada ao sistema e pode “olhar” para qualquer direção a partir do canal de trabalho, com toda a nitidez de um monitor Full-HD (alta qualidade) e com a luminosidade ideal controlada através de um foco de luz também acoplado ao sistema. Portanto, o uso do endoscópio, não está limitado apenas às indicações clássicas como hérnia de disco, estenose  de canal vertebral e estenose de forame intervertebral; o endoscópio pode ser utilizado em qualquer cirurgia que se deseje uma visão privilegiada de dentro de um orifício natural ou de um orifício criado pelo canal de trabalho.

A endoscopia é portanto, uma técnica de mínima invasão e mínima agressividade, que permite visualizar o local exato da doença com um grande aumento através de monitores de alta definição (Full-HD).

Comparando com uma cirurgia clássica de hérnia de disco, as principais vantagens do uso do endoscópio são:

– menor incisão na pele;

– separação das fibras musculares ao invés de descolamento do músculo do osso;

– procedimento mais rápido;

– sangramento mínimo;

– menos dor pós operatória;

– recuperação mais rápida;

– o procedimento é ambulatorial e o paciente vai embora no mesmo dia da cirurgia;

– alívio mais rápido da dor;

– retorno mais rápido ao trabalho;

– baixa taxa de infecção (associado às vantagens da realização do procedimento em Hospital Dia, nosso índice de infecção nas endoscopias da coluna é “0”);

– alto índice de sucesso.

*Durante o procedimento, geralmente é utilizado um aparelho de Laser ou de Radiofrequência, portanto muitos conhecem este procedimento como “cirurgia de hérnia de disco a laser”.

Existem principalmente 2 tipos de acessos endoscópicos para o tratamento das doenças lombares (hérnias de disco e estenoses), o acesso transforaminal e o acesso interlaminar. Considero importante que o paciente saiba qual tipo de procedimento foi proposto para resolução do seu problema, pois apesar de haver a possibilidade de utilizar os 2 acessos para resolução de alguns casos, muitas vezes uma das técnicas apresenta resultado superior à outra!

Acesso transforaminal

É o acesso realizado pelo lado da coluna, o endoscópio é direcionado ao forame intervertebral, local por onde a raíz nervosa sai da coluna. É ótimo acesso para hérnias nos níveis mais altos e também para as hérnias que são bem laterais, como as hérnias foraminais. Este acesso é realizado com anestesia local e sedação, o que leva à possibilidade de conversar com o paciente durante a cirurgia.

Acesso interlaminar

É o acesso realizado por trás da coluna. No nível de L5S1 existe uma janela que permite fácil acesso por trás, a chamada janela interlaminar. Por outro lado, acidentes ósseos naturais dificultam o acesso transforaminal neste nível. Portanto, o acesso interlaminar é ótimo para hérnias de disco no espaço L5S1, e também pode ser utilizado para hérnias centrais ou centro-laterais em níveis mais altos da coluna lombar. Por esta via, não há necessidade de se trabalhar no estreito forame intervertebral, portanto, a anestesia pode ser geral. Nesta técnica, realizamos a anestesia geral endovenosa total, que permite maior conforto ao paciente, despertar rápido e alta 3h após o procedimento.

A endoscopia para cirurgia da coluna não é apenas um procedimento, mas sim uma técnica cirúrgica que além das inúmeras vantagens, constitui uma maneira revolucionária de enxergar o problema. Assim como algumas décadas atrás o microscópio cirúrgico trouxe melhoria nos resultados operatórios e o endoscópio revolucionou a gastrocirurgia e a neurocirurgia; esta técnica faz o mesmo para a cirurgia de coluna quando bem utilizada. Apesar de já existir há bastante tempo, o seu uso demorou a se estabelecer no Brasil, mas é realizada pela nossa equipe desde 2013.

Não deixe de nos consultar para tirar todas suas dúvidas!

Leia mais em:

Cirurgia Minimamente Invasiva

Desgaste da Coluna Lombar

Protrusão de Disco

Dor lombar

Hérnia de disco

Espondilolistese e espondilólise

Ciática

Tenho hérnia de disco. Posso correr?

Referências:

  • Operative Neurosurgical Techniques. Saunders
    Lewandrowski KU, Lee SH, Iprenburg M. Endoscopic Spinal Surgery. JP.
    Khoo LT, Fessler RG. Microendoscopic Decompressive Laminotomy for the treatment of Lumbar Stenosis. Neurosurgery 2002.
  • Amato MCM, Aprile BC, de Oliveira CA, Carneiro VM, de Oliveira RS. Experimental Model for Interlaminar Endoscopic Spine Procedures. World Neurosurg. 2019 Sep;129:55-61. doi: 10.1016/j.wneu.2019.05.199. Epub 2019 May 29. PMID: 31152884.
  • Amato MCM, Aprile BC, Oliveira CA, Carneiro VM, Oliveira RS. Experimental model for transforaminal endoscopic spine. Acta Cir Bras. 2018 Dec;33(12):1078-1086. doi: 10.1590/s0102-865020180120000005. PMID: 30624513.
  • Radiation Exposure During Percutaneous Endoscopic Lumbar Discectomy: Interlaminar versus Transforaminal; MCM Amato, BC Aprile, CA de Oliveira; Arquivos Brasileiros de Neurocirurgia: Brazilian Neurosurgery 37 (S 01), A0613

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como posso te ajudar?