Hemangioma de corpo vertebral
1 de junho de 2015
Dor Cervical
20 de junho de 2015

Dor Lombar

A dor lombar ou lombalgia é o segundo maior motivo de visita ao médico, perdendo apenas para o resfriado comum. Até os 20 anos, 50% da população vai ter apresentado lombalgia e, aos 60 anos, cerca de 80%.

As causas mais comuns de lombalgia são desconhecidas e nestes casos são denominadas de lombalgia mecânica, inespecífica ou postural. E felizmente, na grande maioria das vezes, os sintomas melhoram espontaneamente.

O exame identificou hérnia de disco, vou ter dores pro resto da vida?

A Ressonância Nuclear Magnética (RNM) é excelente para a avaliação da coluna, no entanto, estes exames têm sido solicitados em demasia para um problema em que a avaliação clínica é muito mais importante para o diagnóstico e tratamento corretos. Vale ressaltar que é quase impossível em uma ressonância de coluna lombar de adulto, não haver alguma  alteração degenerativa, seja por desgaste, como protrusão de disco, e artroses ou osteófitos (“bico de papagaio”). E ainda, 25% das pessoas que não sentem nada têm hérnia de disco na ressonância. Portanto, se você tem uma hérnia de disco, saiba que não está sozinho na população e que em 90% dos casos o tratamento é clínico, e se for bem realizado não haverá necessidade de cirurgia ou outro procedimento invasivo.

Qual exame devo fazer então para descobrir o meu problema? Acredite ou não, apesar da tecnologia atual, a história e o exame físico realizados pelo especialista continuam sendo o alicerce para o correto diagnóstico e tratamento adequado; e geralmente, são mais que suficientes.

O médico inicialmente descarta as causas graves de dor lombar, como fratura, instabilidade, infecção e tumor, e depois inicia o tratamento adequado. A identificação exata de qual estrutura está causando dor não é necessária na maioria dos casos, pois o tratamento clínico é o mesmo. A não ser que haja persistência da dor e algum procedimento invasivo esteja sendo cogitado, neste caso o neurocirurgião deverá indicar o melhor exame complementar, que pode ser um Raio X simples, tomografia, ressonância, cintilografia ou eletroneuromiografia.

Como prevenir a lombalgia ?

O principal objetivo é o fortalecimento da musculatura responsável pela sustentação do corpo: musculatura abdominal, dorsal e estabilizadora da coluna. Portanto, o combate ao sedentarismo é uma das principais medidas a ser tomada entre os novos hábitos (estilo de vida), que compreendem também a manutenção de peso corporal ideal, abandono do tabagismo, melhora da auto-estima, satisfação pessoal e profissional. As atividades físicas devem envolver, alem do fortalecimento da musculatura, atividades aeróbicas, alongamentos e reeducação postural. Atividades que envolvem várias modalidades de exercícios, incluindo o relaxamento da musculatura através de exercícios respiratórios, como yoga, meditação e Tai-chi-chuan são também bastante úteis e bem aceitos pelos pacientes.
Faz parte da prevenção, a informação do paciente quanto a melhor forma de agir quando a dor aparecer. O repouso total na cama não deve ser superior a 2 dias, e a melhor forma de combater a dor é a associação de medidas locais, repouso relativo, cuidados com a postura e carregamento de peso, medicamentos analgésicos, anti-inflamatórios e relaxantes musculares. Não hesite em procurar o especialista para receber a melhor combinação de medicamentos! E lembre de não carregar o mundo nas costas!

O que é importante contar ao meu médico? 

 Essa pergunta é muito importante e facilita o diagnóstico quando o paciente consegue se lembrar de todos os itens abaixo!

• Quando começou a dor?
• Qual a duração dos sintomas?
• O que aconteceu no momento de início? Algum trauma, acidente, levantando peso ou dirigindo?
• Qual é a hora do dia em que a dor é pior?
• Quando que a dor melhora? Em repouso? Em atividade? Adotando alguma posição?
• Quando a dor piora? Com estresse, alguma posição ou durante alguma atividade?
• Existe algum sintoma associado, como perda de força, dormência ou formigamento das pernas, febre?
• Há alguma doença associada? Há história de câncer? Há disfunção da bexiga ou do intestino?
• Está vivenciando alguma situação de estresse, depressão ou problema sócio-econômico?

Quais são os profissionais capacitados para o tratamento da dor lombar?

Os clínicos (fisiatra e reumatologista) são capacitados a tratar clinicamente as dores articulares, em especial, da coluna. Os cirurgiões (neurocirurgião e ortopedista de coluna) decidem pela necessidade do tratamento cirúrgico. Como o tratamento clínico é necessário mesmo quando se opta pelo tratamento cirúrgico, estes profissionais estão capacitados também a realizar o tratamento clínico, como fisioterapeutas e quiropraxistas.

De uma forma geral a visita ao cirurgião é sempre importante para descartar as causas graves ou que necessitem de intervenção cirúrgica!

OBS: as doenças renais podem causar dor lombar, no entanto, apresentam características distintas, como dor em cólica e ausência de melhora com o repouso.

Para mais informações, acesse:   http://doencarenal.com.br/doencas-renais/calculo-renal/

Os comentários estão encerrados.

Como posso te ajudar?