fbpx
Hidrocefalia
13 de junho de 2015
Aneurismas Cerebrais. Qual é o melhor tratamento?
18 de junho de 2015

A tecnologia atual ajuda muito a retirar totalmente os tumores cerebrais e sem sequelas, mas o mais importante continua sendo o conhecimento da anatomia.

Para que serve o neuronavegador? E o ultra-som? Qual é melhor?
O neuronavegador funciona como um sistema de GPS (Global Positioning System), no qual qualquer instrumento cirúrgico pode ser anexado a uma antena e calibrado para informar ao neurocirurgião qual a posição do instrumento em relação as imagens de Ressonância Magnética e Tomografia. É um sistema muito interessante, pois a localização é informada em 3 dimensões (planos sagital, axial e coronal) de um exame que foi adquirido logo antes do paciente ser submetido a cirurgia. É uma tecnologia de extrema valia em tumores cerebrais, tanto para a correta localização da lesão em cirurgias abertas, como para a realização de biópsias cerebrais. O ponto de início, a trajetória e o alvo do procedimento pode ser programado previamente a cirurgia e o plano seguido no ato operatório. É bastante útil também para cirurgias de coluna.

A grande desvantagem do neuronavegador é que utiliza-se uma imagem que foi adquirida antes do ato operatório e, pequenas alterações ocorrem durante a cirurgia, e não são demonstradas pelo aparelho. Por exemplo, após alguns minutos com o cérebro exposto, ocorre mudança da sua posição em relação ao crânio, pela drenagem de líquor, posição do paciente, pressão sanguínea, respiração, medicamentos, etc… Essas mudanças devem ser identificadas pelo neurocirurgião, de acordo com o seu conhecimento anatômico, e podem ser verificadas pela utilização do Ultra-som intra-operatório, outro arma muito valiosa no tratamento cirúrgico de lesões encefálicas! Portanto, o ultrassom, apesar de ser uma tecnologia bem mais antiga, dá informações mais precisas do que o neuronavegador. O ultrassom, em adultos, só pode ser utilizado após a abertura do crânio.

Par que serve o potencial evocado?
O potencial evocado faz parte da monitorização neurofisiológica, que é muito importante quando a área do cérebro a ser manipulada envolve regiões nobres, como a área motora e os nervos cranianos, e também no tratamento de crises convulsivas.

A cirurgia cerebral com laser é melhor do que a convencional?
O laser não substitui o ato operatório. É um instrumento cirúrgico, que pode ser utilizado em neurocirurgias e tem o benefício de realizar cauterizações e cortes no tecido neural com muita precisão e sem muita dissipação de energia.

O meu caso precisa de Ressonância intra-operatória?
Exames de imagem intra-operatórios mais detalhados, como a Ressonância e a Tomografia têm evoluído rapidamente. A ideia é fazer o exame imediatamente após a ressecção de tumores cerebrais, na sala cirúrgica com o paciente ainda anestesiado e com o crânio ainda aberto. Na maioria dos casos, não é necessária a sua utilização, e o tempo utilizado para tais exames pode aumentar as complicações da cirurgia. Cabe ao neurocirurgião identificar qual o paciente irá se beneficiar de tal tecnologia!

O qué é o aspirador ultra-sônico?
O aspirador ultra-sônico é outro grande aliado do neurocirurgião. Ele ajuda a retirar o tumor de forma rápida e segura. É um aspirador que vibra em alta frequência e ajuda a destruir o tecido tumoral.

Fonte:  Neurocirurgia Pediátrica – Fundamentos e Estratégias

Dr. Marcelo Amato - CRM: 116.579
Dr. Marcelo Amato - CRM: 116.579
Médico e Neurocirurgião pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP); Doutor em Neurocirurgia (Clínica Cirúrgica) pela Universidade de São Paulo (FMRP-USP), orientado pelo Prof. Dr. Benedicto Oscar Colli; Especialista em Neurocirurgia pela Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN) e pela Associação Médica Brasileira (AMB); Especialista em Cirurgia de Coluna pela Sociedade Brasileira de Coluna (SBC) e Associação Médica Brasileira (AMB); Linha de Pesquisa em Cirurgia Endoscópica da Coluna desde 2013 pela FMRP-USP com diversos artigos e livros publicados nacional e internacionalmente; elaboração de aulas e cursos nacionais e internacionais sobre Endoscopia de Coluna, e realização de consultorias em todo território nacional ; Neurocirurgião referência do Hospital de Força Aérea de São Paulo (HFASP); Diretor do Amato - Hospital Dia;

Os comentários estão encerrados.