Meningioma

     meningioma-sao-paulo-cirurgia-moderna-especialistaSão tumores originados nas meninges, tecidos que revestem e protegem o sistema nervoso central. Constituem cerca de 30% dos tumores intracranianos primários.

O meningioma é um tipo de câncer?
     Não, a grande maioria dos meningiomas são benignos. Apenas alguns raros tipos estão associados a características malignas e pior evolução.

Quais são os sintomas?
     Muitos meningiomas são assintomáticos e incidentais. Em autópsias podem ser incidentalmente encontrados em 1,4% dos pacientes. Acometem principalmente pessoas de média idade e mais idosos, com pico na 6a e 7a décadas de vida. Mulheres são mais acometidas do que os homens no geral.
     Os sintomas dependem do local onde está a lesão e são diversas as localizações possíveis. Na região frontal por exemplo, podem causar perda de visão, de olfato e alteração de comportamento. Na região posterior da cabeça podem cursar com alteração da coordenação; na base do crânio, podem causar alteração de nervos cranianos como dificuldade para falar, deglutir ou movimentar a língua. Dor de cabeça, vômitos, perda de força e de sensibilidade também são sintomas possíveis. Praticamente qualquer sintoma neurológico pode ser encontrado, inclusive aqueles relacionados à coluna, haja visto que a medula espinhal também é coberta pelas menínges. Por serem lesões de crescimento muito lento, podem ser descobertos em tamanhos consideravelmente grandes.

O que causa esse tipo de tumor? É genético? Meus filhos podem ter o mesmo problema?
     Alguma célula meníngea, mais especificamente da membrana aracnóidea, começa a se reproduzir defeituosamente e forma o tumor. A causa da maioria dos casos não está bem estabelecida, mas certamente estas células defeituosas apresentam uma susceptibilidade genética para se multiplicarem desta forma.
    Sabe-se que meningiomas podem surgir a partir da radioterapia do sistema nervoso central, mas os casos radio-induzidos são raros e a dose para que o tumor seja causado é muito grande. A influência hormonal na formação dos meningiomas ainda não esta bem estabelecida.
     Os casos familiares também são raros e estão ligados a síndromes genéticas como a Neurofibromatose.

Qual é o melhor tratamento para esta doença?
     A cirurgia é o tratamento mais eficaz para esse tipo de tumor e geralmente é possível a remoção total com cura da doença.
     Algumas vezes, estas lesões apresentam difícil tratamento, ou por serem aqueles raros casos malignos ou devido ao complexo acesso cirúrgico, como os meningiomas petro-cliviais, esfeno-orbitários e do seio cavernoso; nestes casos outros tratamentos como a radioterapia e radiocirurgia podem ser utilizados.meningeoma-sao-paulo-especialista-consulta-cirurgia-moderna

Depois da cirurgia eu vou ter uma vida normal? Vou ter alta médica?
     O objetivo principal de qualquer cirurgia neurológica é a preservação da função neurológica. Se já houver algum déficit neurológico antes da cirurgia, converse com o seu neurocirurgião, a respeito das chances de recuperação total.
     De qualquer maneira, o seguimento clínico deve ser feito pelo resto da vida, pois os meningiomas podem recorrer décadas após a ressecção e devem ser monitorados com exames de imagem seriados.